sexta-feira, 1 de maio de 2015

TSE manda PT devolver R$ 4,9 milhões aos cofres públicos



      A prestação de contas apresentada pelo Partido dos Trabalhadores em 2009 foi parcialmente rejeitada pelo Tribunal Superior Eleitoral por uso irregular do fundo partidário. A principal irregularidade foi o uso de R$ 2,3 milhões do fundo partidário para pagar um empréstimo com o Banco Rural. Este empréstimo foi considerado fictício pelo Supremo Tribunal Federal durante o julgamento do mensalão em 2012. Para os ministros do STF, foram operações simuladas para tentar esconder o esquema de desvio de recursos públicos e pagamento de propina a congressistas no inicio do governo Lula.

      
      O TSE rejeitou também as prestações de contas do PSDB, PPS, PSOL, e PRTB. Ficou estabelecido que o PSDB devolverá aos cofres públicos R$ 226 mil e ficará sem receber R$ 530,42 mil em repasse do fundo partidário em 2015.  O PPS devolverá R$ 1,054 milhão e perderá um mês de repasse do fundo partidário. O PSOL devolverá R$ 400 mil e o PRTB R$ 46 mil. O maior valor a ser ressarcido aos cofres públicos é de R$ 4,9 milhões e cabe ao PT a devolução. Além disso, a legenda ficará sem receber três parcelas mensais do fundo partidário este ano, cerca de R$ 29 milhões.
Postar um comentário